Facebook Twitter Instagran
 
   
O que fazemos
Publicações
Expediente
Trabalhe Conosco
 
 
   
 
 
     
Blog - 09.06.2016
Quanto vale a informação da sua empresa?
                                       
 
Envie essa página como dica de leitura para seu amigo. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   
   
   
 
Envie sua opinião sobre essa leitura, dúvida ou sugestão. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   


 

©iStock.com/Temmuz can arsiray O modelo de negócio do jornalismo passa por uma crise, especialmente na área de impressos. A queda nas vendas decorre da migração dos leitores e da publicidade para plataformas digitais. No Brasil e no mundo, a circulação de jornais e revistas vem caindo e muitos agora só operam online ou fecharam suas portas. É o momento em que as empresas que produzem conteúdo estão se preocupando em medir o valor de suas entregas. Não há dúvidas de que o jornalismo ainda é necessário e continuará sendo necessário para separar fatos de boatos, mas é preciso saber o quanto os leitores querem pagar por informação de qualidade.

Muitos pensadores têm refletido sobre o assunto. O jornalismo agora concorre com o tempo e com o dinheiro que as pessoas dedicam a tudo o que é importante para elas. Cabe aos profissionais da área encontrar maneiras de entrar na lista das coisas mais importantes. “Esse valor não está atrelado a papel, tela, ondas de rádio. Ele está na disposição das pessoas em usá-lo, recomendá-lo, pagar por ele, compartilhar com os amigos”, argumenta o jornalista Leandro Beguoci.

Na visão do diretor de comunicação do Instituto Internacional de Ciências Sociais, Pedro Sigaud-Sellos, ganhará a batalha pelas audiências o veículo não apenas com o melhor conteúdo (notícias, análises, opinião) mas aquele que melhor conseguir entender nosso Zeitgeist, ou seja, o espírito da época. Isso inclui, além de conteúdos originais e de alta qualidade, compreender o funcionamento das redes (tanto em termos sociológicos como tecnológicos), os comportamentos de consumo e aspirações dos públicos mais jovens.

Não basta contar histórias, é preciso se preocupar, constantemente, em mostrar o impacto que elas têm. Os públicos, cada vez mais complexos e atuantes, querem fazer parte dos processos de comunicação (interna ou externa), saber de todas as informações, investimentos, parcerias e demais temas sobre a empresa ou o setor. Nesse sentido, ganham importância os processos de comunicação integrada, de modo a mapear a cultura organizacional, os públicos e suas especificidades de contexto na recepção de mensagens. Uma agência especializada na área entregará ao empresário uma comunicação inteligente e criativa, encontrando formas de que os temas explorados tragam criatividade e entretenimento, coerência com a imagem da marca e oportunidades de interação. 

Diego Castro, jornalista da Temática

Tags: impressos, comunicação, jornalismo


Blog - 21.01.2016
De volta, agora com ainda mais conteúdo
                                       
 
Envie essa página como dica de leitura para seu amigo. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   
   
   
 
Envie sua opinião sobre essa leitura, dúvida ou sugestão. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   


 

Carlota PaulsDepois de algum tempo sem as atividades do blog, estamos retomando com tudo: site novo e presença em outras mídias sociais, além dos já habituais Facebook e Twitter e LinkedIn. Agora estamos ativamente no Instagram e também abrimos um canal de comunicação via WhatsApp para uma comunicação mais direta. Toda semana teremos conteúdo novo e exclusivo no site, que funcionará como um portal de notícias, sendo que todas as reportagens e posts poderão ser compartilhados diretamente da página para as suas redes sociais, uma forma de interação com os nossos leitores. Aqui falaremos sobre temas pertinentes às áreas de Gestão de Pessoas, Marketing e Comunicação, entre outros. Contamos com a sua contribuição para troca de ideias e sugestões. Toda forma de participação é bem-vinda!

Nossa proposta é dar a informação não em primeiro lugar, mas com mais qualidade e com algum diferencial, apostando na credibilidade em meio a este boom de informações – nem sempre verdadeiras – a que estamos expostos todos os dias. Queremos continuar resgatando o bom jornalismo, que infelizmente anda em descrédito por tantos deslizes que vemos por aí. Seremos coerentes com as nossas políticas e valores – e entre eles estão a transparência e a responsabilidade.

Nós geramos conteúdo, não repetimos nem copiamos, muito menos criamos fatos que não existem. Produzimos conhecimento, não apenas textos, imagens e layouts. Nós pensamos sobre o que fazemos – não simplesmente executamos – e avaliamos sempre sobre o que é melhor para cada situação. Assim é a Temática, e tampouco ficaremos aqui falando do próprio umbigo (às vezes será inevitável, mas não se preocupem: apenas o faremos quando for necessário – e sem exageros). Aliás, é exatamente isto que defendemos para os nossos clientes: materiais menos institucionais e com mais informações/serviços, o que se traduz em disponibilizar conteúdos que possam ter alguma utilidade para quem os lê. Impresso ou digital, pouco importa. O que importa é que quem tem conteúdo, tem tudo. Aproveitem, estamos distribuindo!

Fernanda Reche, diretora e jornalista da Temática

Tags: conteúdo, comunicação, Temática, Mídias sociais


Registros 51 a 52 de 52
‹‹ Primeira    ‹ Anterior   Próxima ›   Última ››
 
Arquivos
› Todos os posts
› 2020
› 2019
› 2018
› 2017
› 2016
Tags:  impressos, comunicação, jornalismo, conteúdo, Temática, Mídias sociais, ansiedade, informação, poder, SPA, currículo de fracassos, recursos humanos, currículo, Colaboração, Cooperação, Ambientes virtuais de aprendizado, inovação, mercado, propósito, empreender, pequena empresa, internet, redes sociais, etiqueta, Likes, engajamento, posts, curadoria, sobrecarga, checagem, planejamento, empresa, metas, trabalho, curiosidade, pesquisa, psicologia, cérebro, criatividade, tecnologia, tendências, millenniuns, Reinvenção, negócio, música, autoconhecimento, reconhecimento, carreira, mindufulness, foco, futuro, negócios, millennials, Lei Maria da Penha, violência contra a mulher, violência doméstica, digital, e-commerce, disruptura, reinventar, atendimento, feedback, problemas, resposta, desempenho, envolvimento, kardashian, social media, maternidade, Costumer Centricity, humanização das marcas, empatia, storryteling, polarização, negociação, consenso, Facebook, privacidade, vazamento, violação, dados, informações, avanços, bom senso, consequências, Comprometimento, doação, marketing, vida, significado, felicidade, stories, ferramentas de voz, vídeos, influenciadores, humanização, Job sharing, Unilever Brasil, Whole Foods, Salesforce, Deutsche Bank, startup, unicórnio, aceleradora, capital, Sebrae, Trabalho remoto, flexibilidade, home-office, capitalismo consciente, John Mackey, Raj Sisodia, sustentabilidade, bem-estar social, valor compartilhado, empresas humanizadas, economia circular, logística reversa, reciclagem, meio ambiente, pegada ecológica, home office, produtividade, pandemia, coronavírus, jargão, chavão, frase feita, estrangeirismo, escrita
 
Direto da redação
17.03.2020
Expediente por home office
23.10.2019
Revistas promovem educação ambiental
29.08.2019
14º Encontro Aberje coloca a comunicação digital em pauta
27.08.2019
Temática participa da 42ª Expointer
 
 
 

R. General João Telles, 524/602 • Porto Alegre/RS • Fone: (51) 3346-1194 • E-mail: admin@tematica-rs.com.br