Facebook Twitter Instagran
 
   
O que fazemos
Publicações
Expediente
Trabalhe Conosco
 
 
   
 
 
     
Blog - 18.01.2018
O outro lado do engajamento
                                       
 
Envie essa página como dica de leitura para seu amigo. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   
   
   
 
Envie sua opinião sobre essa leitura, dúvida ou sugestão. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   


 

Um artigo publicado na revista Harvard Business Review pelos pesquisadores©iStock.com/Gradyreese Lewis Garrad e Tomas Chamorro-Premuzic fornece uma visão distinta do que costumamos ler sobre engajamento dos funcionários. Em geral, as maiores pontuações em termos de envolvimento dos colaboradores estão correlacionadas com o aumento do bem-estar, do desempenho e da retenção dos funcionários. No entanto, se verificou que essa característica nem sempre está atrelada a um melhor desempenho. 

De acordo com os autores, existem desvantagens para o alto envolvimento dos colaboradores. Uma delas é que os funcionários mais engajados muitas vezes estão pensando em ideias inovadoras e é provável que estejam satisfeitos com o forma que a empresa desenvolve o seu trabalho, o que levaria esses trabalhadores mais envolvidos e satisfeitos a não desafiarem o status quo. A complacência pode atingir a performance da empresa a longo prazo. 

Outro ponto negativo é a facilidade para os colaboradores com alto engajamento se envolverem de tal forma no seu trabalho que deixem de se preocupar com outros (importantes!) aspectos de suas vidas. De acordo com estudos, esse tipo de funcionário tende a ter interferências da vida profissional sobre a familiar com mais freqüência e podem acabar prejudicando sua própria saúde, aspectos que a longo prazo também podem prejudicar a empresa. 

Laura Schenkel, jornalista

Tags: engajamento, trabalho, desempenho, envolvimento


Blog - 04.10.2016
Engajamento não se compra
                                       
 
Envie essa página como dica de leitura para seu amigo. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   
   
   
 
Envie sua opinião sobre essa leitura, dúvida ou sugestão. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   


 

©iStock.com/Jane_KellyVocê já deve ter visto por aí anúncios de “troco likes”, “sigo de volta”, “pacote com seguidores”. É impressionante a quantidade de empresas que ainda vão atrás desta prática, comprando a promessa de likes e seguidores, como se fosse possível ganhar audiência e engajamento simplesmente passando o cartão de crédito. Mais extraordinário ainda são as agências de produção de conteúdo digital que trabalham nesta linha – imagino que em uma tentativa de "mostrar trabalho". Devem pensar que o cliente vai ficar feliz vendo que, de repente, do zero, a agência batalhou para conquistar 10 mil internautas! Isso em 5 dias. Gente, mágica não existe, vamos cair na real.

Há pacotes que prometem aumentar o número de seguidores na sua página empresarial, e de fato aumentam, com perfis – nada mais, nada menos – de outros países, como Índia ou Indonésia, pessoas que não fazem a mínima ideia sobre o que se trata a empresa "curtida" e nem falam o seu idioma. São perfis de pessoas reais, como prometido, sim, mas de fato são também perfis fakes – e que vão embora depois de certo tempo. Mas isto nem importa, e também não importa o valor gasto nestas transações – o que interessa é que isso não se faz, pois não traz benefícios e, ao contrário, criam até antipatia no teu consumidor fiel, que curte realmente a tua empresa. Há agências – que, inclusive, ministram cursos por aí de como fazer produção de mídias sociais e são até consideradas referência no assunto – praticando esta heresia. É o cúmulo, verdade seja dita.

Trata-se não apenas de falta de visão, mas de ausência de boa índole, num cenário onde a transparência empresarial é cada vez mais imprescindível. Enganar o teu seguidor fiel com números, dentro da lógica do “efeito manada”, em que todos correm atrás, também conhecido como “maria-vai-com-as-outras”, é, além de mau-caratismo, ilógico – não há sentido algum. O importante é ter acompanhando a sua página/canal/perfil pessoas que realmente fazem a diferença para a sua empresa, sejam seus clientes ou potenciais consumidores. Este é o seu público, então não suje o seu nome com soluções falsas. Quantidade é importante, claro, mas o principal é a qualidade. O "resultado" numérico, neste caso, não trará nenhum efeito prático para o seu negócio.

Também na pressa para alcançar a porção diária de posts prometidos ou por simples incapacidade criativa ou ainda por não ter equipe suficiente em função do baixo valor cobrado pelo trabalho, muitas agências de conteúdo digital "roubam" ideias e posts de outras empresas, o que pode trazer dores de cabeça para você, com incontáveis processos judiciais. Isso sem falar no direito do uso de imagem, muitas vezes ignorado pelas mesmas agências. Logo, vale pesquisar bem antes e se certificar sobre possíveis fornecedores nesta área. Este é um trabalho que não pode ser feito em série industrial, cada post é estratégico para a sua empresa.

Suas postagens têm de ter coerência com o que você/sua empresa faz, com quem você/sua empresa é. Você precisa comemorar cada like conquistado pelo mérito do material que você coloca na rede. Cada compartilhamento. O alcance das publicações, é verdade, está cada vez mais restrito pelas próprias empresas (Facebook, Twitter) – é preciso realmente "anunciar", impulsionar seus posts. Mas faça isso de forma acertada, direcionando ao público de interesse do seu negócio. Muito falamos sobre corrupção no âmbito governamental, mas esquecemos que a corrupção também está presente nos pequenos gestos e detalhes do dia a dia, e este é um exemplo disso. Não caia no conto do pacote de likes, seguidores etc. Quem pensa que compra engajamento não entende nada de mídias sociais e nem da época em que vivemos.

Fernanda Reche, diretora e jornalista da Temática

Tags: Likes, redes sociais, engajamento, posts


Registros 1 a 2 de 2
‹‹ Primeira    ‹ Anterior   Próxima ›   Última ››
 
Arquivos
› Todos os posts
› 2018
› 2017
› 2016
Tags:  impressos, comunicação, jornalismo, conteúdo, Temática, Mídias sociais, ansiedade, informação, poder, SPA, currículo de fracassos, recursos humanos, currículo, Colaboração, Cooperação, Ambientes virtuais de aprendizado, inovação, mercado, propósito, empreender, pequena empresa, internet, redes sociais, etiqueta, Likes, engajamento, posts, curadoria, sobrecarga, checagem, planejamento, empresa, metas, trabalho, curiosidade, pesquisa, psicologia, cérebro, criatividade, tecnologia, tendências, millenniuns, Reinvenção, negócio, música, autoconhecimento, reconhecimento, carreira, mindufulness, foco, futuro, negócios, millennials, Lei Maria da Penha, violência contra a mulher, violência doméstica, digital, e-commerce, disruptura, reinventar, atendimento, feedback, problemas, resposta, desempenho, envolvimento, kardashian, social media, maternidade, Costumer Centricity, humanização das marcas, empatia, storryteling, polarização, negociação, consenso, Facebook, privacidade, vazamento, violação, dados, informações, avanços, bom senso, consequências, Comprometimento, doação, marketing, vida, significado, felicidade
 
Direto da redação
05.12.2018
Fecomércio-RS apresenta projeções econômicas para 2019
04.12.2018
Fiergs projeta economia brasileira em 2019
26.11.2018
Premiações de comunicação e design em destaque pelo país
22.11.2018
Festival promove mais de 450 atividades na capital
 
Trabalhe Conosco
Quantos livros sobre negócios você leu em 2018?
1 a 3
Até 5
5 a 10
Mais que 10
Não costumo fazer leituras sobre este assunto
 
 
 

R. General João Telles, 524/602 • Porto Alegre/RS • Fone: (51) 3346-1194 • E-mail: admin@tematica-rs.com.br