Facebook Twitter Instagran
 
   
O que fazemos
Publicações
Expediente
Trabalhe Conosco
 
 
   
 
 
     
Notícias - 12.06.2017
Mapeamento aponta situação do impacto socioambiental dos negócios brasileiros
                                       
 
Envie essa página como dica de leitura para seu amigo. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   
   
   
 
Envie sua opinião sobre essa leitura, dúvida ou sugestão. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   


 

Com o objetivo de investigar os desafios e as oportunidades da indústria brasileira em relação às questões referentes aos impactos social e ambiental, foi lançado hoje (12/06) o estudo Mapa de negócios de impacto social + ambiental, realizado pela Pipe.Social. No levantamento, são expostas análises qualitativas e quantitativas de startups nas áreas de Educação, Saúde, Finanças Sociais, Cidadania, Cidades e Tecnologias Verdes, a fim de produzir dados consistentes do contexto do país, além de visões dos principais especialistas em negócios de impacto social.

A principal área apontada no mapeamento é a educação (38%), seguida por tecnologias verdes (23%) e cidadania (12%). Além disso, dos 579 negócios verificados, 79% estão captando investimento e, destes, 58% receberam investimentos de diversos tipos de fundos, sendo em sua maioria pelo modelo de Family, Friends and Fools (FFF), investidores próximos.

Na metodologia da pesquisa, foram avaliados quatro critérios, originários da Carta de princípios para negócios de impacto no Brasil. O primeiro deles é o compromisso com a missão social e ambiental, na qual 43 entrevistados têm seu propósito de impacto na comunicação impressa, e 15% focam na missão, visão e valores institucionais. O segundo princípio diz respeito aos impactos social e ambiental monitorados, sendo que 28% não acham necessário medir ou acompanha-los, enquanto 28% definiram indicadores mas ainda não os medem de maneira formal.

O compromisso com a lógica econômica é o terceiro princípio, na qual 46% dos entrevistados afirmam não contar com subsídio ou capital filantrópico como fonte de receita. Para completar, há ainda o compromisso com a governança efetiva, em que 73% dos participantes revelam nunca ter calculado a análise do legado socioambiental deixado pelo negócio. Já cerca de 24% têm este índice maior do que o valor econômico subtraído e apenas 1% tem o legado socioambiental inferior ao valor econômico extraído. Confira o levantamento na íntegra por .


Leia também:
20/04/2018  ›  Rio Grande do Sul recebe atividades do Dia da Criatividade
18/04/2018  ›  Sesc-RS realiza Campanha Prato Cheio
17/04/2018  ›  Biblioteca Pública realiza Semana Estadual do Livro e do Incentivo à Leitura
12/04/2018  ›  Empresa recria capas de obras assinadas com pseudônimos masculinos
11/04/2018  ›  Programa Sesc de Voluntariado promove solidariedade e desenvolvimento
05/04/2018  ›  Procura por experiências deve aumentar no Brasil até 2022
05/04/2018  ›  Virada Sustentável 2018 começa nesta sexta-feira em Porto Alegre
02/04/2018  ›  Google cria mecanismos contra fake news
23/03/2018  ›  Imposto de renda pode ser destinado a entidades sociais
22/03/2018  ›  No Dia Mundial da Água, ONU divulga relatório sobre recursos hídricos
Lista Completa ›
 
Direto da redação
20.04.2018
Rio Grande do Sul recebe atividades do Dia da Criatividade
18.04.2018
Sesc-RS realiza Campanha Prato Cheio
17.04.2018
Biblioteca Pública realiza Semana Estadual do Livro e do Incentivo à Leitura
12.04.2018
Empresa recria capas de obras assinadas com pseudônimos masculinos
 
Trabalhe Conosco
Como você se mantém informado?
Assisto TV regularmente
Leio revistas e jornais
Acesso portais e sites de notícias
Acompanho as redes sociais
Busco informações em diferentes meios de comunicação
 
 
 

R. General João Telles, 524/602 • Porto Alegre/RS • Fone: (51) 3346-1194 • E-mail: admin@tematica-rs.com.br