Facebook Twitter Instagran
 
   
O que fazemos
Publicações
Expediente
Trabalhe Conosco
 
 
   
 
 
     
Notícias - 12.07.2018
Disseminação de notícias falsas preocupa empresas
                                       
 
Envie essa página como dica de leitura para seu amigo. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   
   
   
 
Envie sua opinião sobre essa leitura, dúvida ou sugestão. Sua participação é muito importante!
 
   
   
   


 

A fim de conhecer a dimensão das fake news e os mecanismos que contribuem ©iStock.com/Ilkercelikpara mitigar a propagação das notícias falsas sob o ponto de vista corporativo, a Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje) organizou a pesquisa Fake News – Desafios das organizações. Realizado entre 27/02 e 4/04, o levantamento contou com a participação de 52 organizações de diversos setores, tanto nacionais quanto multinacionais.

Os resultados obtidos mostram que as organizações refletem sobre o problema, mas ainda não se protegem adequadamente. Enquanto o assunto preocupa 85% das empresas, 67% delas não tem o assunto incluído em sua estratégia. Além disso, somente 20% estruturou seu departamento interno ou contratou serviços externos para acompanhar e gerir as publicações que envolvem notícias falsas. Os principais impactos causados pelas fake news são danos à reputação da marca (91%) e à imagem da empresa (77%); perdas econômico-financeiras (40%) e credibilidade da companhia (40%). Os temas com mais incidência de conteúdos deste tipo são política nacional (78%), seguidos por saúde (30%), assuntos internacionais (28%) e negócios, economia e finanças (28%).

A maioria das organizações considera os veículos tradicionais mais confiáveis na divulgação de notícias. Os mais citados foram jornais e revistas online (74%), jornais impressos (67%) e revistas impressas (39%). Entre os métodos utilizados para discernir o que é real e o que é falso, destaca-se a confiança, tanto no veículo que publica, quanto no jornalista que produz o artigo. As informações mais credíveis para 91% dos entrevistados estão em mídias tradicionais e para 71% nas agências de notícias. Já as menos confiáveis são as encontradas nas redes sociais (71%).

Na opinião dos entrevistados, as mídias sociais não têm feito o suficiente para auxiliar os usuários na verificação da veracidade das matérias. Para 64% dos participantes, essas plataformas devem ser os principais responsáveis por tomar medidas de controle às fake news, seguidas por autoridades públicas como governos, agências reguladoras e autoridades competentes (30%), assim como as organizações da sociedade civil (30%). Em ano de eleições para o executivo e legislativo, 93% dos respondentes acreditam que conteúdos falsos podem causar prejuízos, influenciando diretamente nas decisões de votação.

Plataforma lança iniciativa

Para auxiliar na disseminação mais correta das informações, o aplicativo de mensagens Whatsapp divulgou recentemente um alerta para prevenir fake news em sua plataforma. O app informará quando as mensagens não forem escritas por quem as enviou. Os usuários serão avisados logo no início do conteúdo, por meio de uma etiqueta com a palavra “encaminhada”.


Leia também:
21/03/2019  ›  Relatório internacional indica que brasileiros estão mais infelizes
19/03/2019  ›  As mídias sociais preferidas no Sul
15/03/2019  ›  Prorrogadas as inscrições para Top de Marketing 2019
14/03/2019  ›  Projeto incentiva a literatura gaúcha e livrarias de bairro
01/03/2019  ›  Receita Federal libera programa do IRPF 2019
20/02/2019  ›  Pesquisa orientará práticas em gestão de pessoas
15/02/2019  ›  Top de Marketing ADVB: inscrições abertas
07/02/2019  ›  Fórum da Liberdade abre compra de ingressos
25/01/2019  ›  Verão Sesc 2019 tem atividades gratuitas no litoral e na capital
22/01/2019  ›  Empresas excluídas do Simples Nacional podem fazer nova opção até 31/01
Lista Completa ›
 
Direto da redação
21.03.2019
Relatório internacional indica que brasileiros estão mais infelizes
19.03.2019
As mídias sociais preferidas no Sul
15.03.2019
Prorrogadas as inscrições para Top de Marketing 2019
14.03.2019
Projeto incentiva a literatura gaúcha e livrarias de bairro
 
Acesso ao nosso informativo
Quantos livros sobre negócios você leu em 2018?
1 a 3
Até 5
5 a 10
Mais que 10
Não costumo fazer leituras sobre este assunto
 
 
 

R. General João Telles, 524/602 • Porto Alegre/RS • Fone: (51) 3346-1194 • E-mail: admin@tematica-rs.com.br